Saúde para Você

Inicie seu movimento para uma vida equilibrada

Hipertensão

A hipertensão é o aumento da pressão arterial. Saiba mais

30 Oct

HIPERTENSÃO

O coração é uma bomba eficiente que bate de 60 a 80 vezes por minuto durante toda a nossa vida e impulsiona de 5 a 6 litros de sangue por minuto para todo o corpo.

A hipertensão é o aumento da pressão arterial, é uma condição clínica multifatorial caracterizada por níveis elevados e sustentados dessa pressão.

Ela pode ser modificada pela variação do volume de sangue, da freqüência cardíaca (batimentos cardíacos por minuto) ou da elasticidade dos vasos. Os estímulos hormonais e nervosos que regulam a resistência sangüínea sofrem a influência pessoal e ambiental

Mas afinal, o que é pressão arterial?

A pressão arterial é a força que o próprio sangue, depois de bombeado pelo coração exerce sobre as paredes dos seus vasos sanguíneos É determinada pelo volume de sangue que sai do coração, e a resistência que ele encontra para circular no corpo.

Elevações ocasionais da pressão podem ocorrer com exercícios físicos, nervosismo, preocupações, drogas, alimentos, fumo, álcool e café.

Quando a pressão arterial é medida, dois números são anotados: um representa a pressão arterial sistólica (o número maior) e o outro, a pressão arterial diastólica (o número menor). Ambas são importantes. Geralmente elas são escritas assim: 120/80 mmHg (milímetros de mercúrio). Na linguagem comum, essa pressão seria a 12 por 8, considerada o valor normal. Valores de pressão sistólica (número maior) e de pressão diastólica (número menor) acima de 140/90 mmHg (ou 14 por 9) são considerados hipertensão arterial.

hipertensão - o que é

O QUE É HIPERTENSÃO ARTERIAL?

Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) é definida como pressão arterial sistólica maior ou igual a 140 mmHg e uma pressão arterial diastólica maior ou igual a 90 mmHg, em indivíduos que não estão fazendo uso de medicação anti-hipertensiva (BRASIL, 2006).

É o nome técnico da doença conhecida como “pressão alta”. É uma doença crônica, causada pelo aumento da pressão medida no fluxo da circulação sistêmica, quando o sangue vai do coração em direção aos tecidos do corpo. . Esse aumento tem várias causas, não sendo possível, na maioria dos adultos, identificar uma causa específica para o início da hipertensão.

A pressão arterial alta sobrecarrega o coração e as artérias, podendo ocasionar lesões nestas duas estruturas, além de afetar outros órgãos do nosso corpo.

A pressão arterial alta sobrecarrega o coração e as artérias, que correm o risco de serem lesadas pelo aumento do atrito do fluxo de sangue em suas paredes.

Apesar de ser uma doença perigosa, que traz grandes riscos à saúde, a hipertensão arterial é silenciosa.

Quem sofre do mal muitas vezes não sente nenhum desconforto até que algo mais grave ocorra. Esse fato torna importantíssimo o controle sistemático da pressão arterial, a fim de evitar complicações.

COMO SABER SE TENHO HIPERTENSÃO?

Números acima de 140 por 90 indicam que a pressão está elevada, mas vários fatores podem influenciar esses valores no momento da aferição da pressão. O estado emocional e a posição em que se está (sentado, deitado ou em pé), a ingestão de substâncias que elevam a pressão, a qualidade do aparelho de medição, entre outros fatores, podem influenciar o resultado. Por isso, o diagnóstico de hipertensão deve ser realizado por um médico.

Cuidados para medir a pressão arterial

Alguns cuidados devem ser tomados, quando se verifica a pressão arterial:

repouso de 15 minutos em ambiente calmo e agradável 

  • a bexiga deve estar vazia (urinar antes)
  • após exercícios, álcool, café ou fumo aguardar 30 minutos para medir
  • o manguito do aparelho de pressão deve estar firme e bem ajustado ao braço e ter a largura de 40% da circunferência do braço,sendo que este deve ser mantido na altura do coração
  • não falar durante o procedimento
  • esperar 1 a 2 minutos entre as medidas
  • manguito especial para crianças e obesos devem ser usados
  • a posição sentada ou deitada é a recomendada na rotina das medidas

É importante ressaltar que, embora seja uma doença, quando instalada, a HAS é tam¬bém um fator de risco para outras doenças crônicas e debilitantes como a doença cerebrovascular, o infarto agudo do miocár¬dio, a doença isquêmica e a insuficiências cardíaca e renal.

 

Hipertensão - Causas

EXCESSO DE PESO

O excesso de massa corporal é um fator predisponente para a hipertensão, podendo ser responsável por 20% a 30% dos casos de hipertensão arterial; 75% dos homens e 65% das mulheres apresentam hipertensão diretamente atribuível a sobrepeso e obesidade.

O excesso de peso provoca sobrecarga cardíaca através de um mecanismo de compensação. Ele leva à diminuição do fluxo de sangue para os tecidos fazendo com que o coração tenha que trabalhar mais para manter os níveis adequados de irrigação. Manter uma alimentação balanceada, conjugada à prática de exercícios físicos, com orientação de médico ou nutricionista, é a melhor maneira de reverter ou evitar a obesidade e, por conseqüência, prevenir o aumento da pressão arterial.

TABAGISMO

Substâncias encontradas no cigarro provocam alterações nas paredes das artérias, como a redução da elasticidade, estimulação ou diminuição do calibre dos vasos sanguíneos que levam ao aumento da pressão arterial.O tabagismo ainda induz resistência ao efeito de drogas anti-hipertensivas,ou seja alteram a ação de medicamentos,utilizados para reduzir a pressão arterial.

O Tabagismo aumenta em três vezes a chance de infarto e é considerado o fator prioritário na maioria dos casos de infarto antes dos 50 anos de idade. Abandonar o cigarro é também deixar de lado um fator de risco para as doenças do sistema cardiovascular. Informe-se sobre o tabagismo e sobre o Grupo de Cessação do Tabagismo da Unimed-BH, uma das ações de promoção da saúde que acontecem nos Centros de Promoção da Saúde da Unimed-BH.

HEREDITARIEDADE

A hereditariedade e a idade não são modificáveis, mas a soma destes fatores com os outros aumenta o risco e deve ser levado a sério. Quem tem parente próximo (pais, irmãos) com histórico de pressão alta apresenta chances maiores de desenvolver a doença e deve procurar um médico para conversar a respeito.

SEDENTARISMO

Segundo a Organização Mundial da Saúde, a falta de atividade física praticamente dobra o risco de a pessoa desenvolver doenças cardiovasculares.O sedentarismo aumenta em 30% o risco de hipertensão arterial. Já o exercício aeróbico, como por exemplo, uma caminhada, apresenta efeito positivo para a redução da pressão arterial.

A falta de atividade física se traduz em menor consumo energético (tendo como possível consequência a obesidade) e na falta de condicionamento físico. Quem não se exercita também não tem artérias fortes, capazes de manter a pressão adequada. Inclua na rotina pelo menos 30 minutos diários de atividade física, sempre com orientação médica. Não é preciso se transformar em atleta para estar protegido. Ir trabalhar a pé, descer do ônibus um ponto antes do destino, levar o cachorro para passear e usar a escada, são atitudes que somam na conquista de uma vida mais ativa.

ESTRESSE

Além dos efeitos imediatos, o estresse está associado a uma série de efeitos indiretos. Pessoas estressadas têm tendência a fumar mais, alimentar-se mal, abandonar a atividade física etc. A soma desses maus hábitos aumenta o risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares. O excesso de compromissos do dia a dia, o cansaço e a irritabilidade gera desgaste emocional. O que reforça uma a hipótese para o aumento de doenças do coração entre as mulheres , freqüentemente submetidas a situações estressantes, como a maior participação no mercado de trabalho, duplas e triplas jornadas. O resultado é que o organismo fica mais sensível e abrem-se portas para o aparecimento de várias doenças, entre elas a hipertensão. Portanto, procure levar a vida com mais calma e tranquilidade, aprendendo a enfrentar o estresse de maneira mais positiva.

EXCESSO DE SAL

O sal é indispensável para a saúde, mas seu consumo excessivo pode causar o aumento da pressão em pessoas com tendência a esse desequilíbrio. Diminuir sua ingestão é um modo de controlar a pressão e não se tornar hipertenso. De modo geral, os hipertensos devem consumir apenas 1g de sal por dia (1 tampa de caneta Bic cheia de sal). Mas fique atento! Essa medida inclui o sal presente em todos os alimentos, conforme observamos na tabela abaixo.Consulte seu médico e/ou nutricionista e estabeleça uma dieta com os níveis adequados à sua saúde.

FONTES DE MAIOR TEOR DE SÓDIO-SAL

  • Sal de cozinha (NaCl) e temperos industrializados
  • Alimentos industrializados ("ketchup", mostarda, shoyu, caldos concentrados)
  • Embutidos (salsicha, mortadela, lingüiça, presunto, salame, paio)
  • Conservas (picles, azeitona, aspargo, palmito)
  • Enlatados (extrato de tomate, milho, ervilha)
  • Bacalhau, charque, carne seca, defumados
  • Aditivos (glutamato monossódico) utilizados em alguns condimentos e sopas de pacote
  • Adoçantes (sacarina sódica e ciclamato)
  • Queijos em geral
  • Drogas e Alcoolismo

Estudos apontam que o consumo moderado de álcool (duas doses por dia para homens e uma por dia para mulheres) pode diminuir o risco de doenças do coração.Entretanto, o consumo elevado de bebidas alcoólicas como cerveja, vinho e destilados aumenta a pressão arterial. O efeito que o etanol traduz no organismo do indivíduo varia de acordo com o tipo de bebida consumida, e sua repercussão está associada à quantidade e à freqüência de etanol ingerido.

Dentre as drogas ilícitas associadas ao aumento da pressão arterial destacamos a cocaína, maconha, anfetaminas e Ectasy.
Além de alterar o comportamento, causar dependência, diversos tipos de doenças e problemas sociais e psicológicos, as drogas e as bebidas alcoólicas elevam a pressão arterial. Se você usa drogas, procure ajuda para parar!

Hipertensão - Sinais e sintomas

Embora seja uma doença predominantemente silenciosa, a pessoa portadora da hipertensão pode apresentar um ou mais destes sintomas:

hipertensão - sinais e sintomas

 

  • Dores na nuca
  • Dores de cabeça
  • Dores no peito
  • Visão embaçada
  • Tonturas
  • Sangramento nasal retenção
  • Retenção de líquidos (inchaço)

Hipertensão - Complicações

  • Aceleração da aterosclerose (depósitos gordurosos nas paredes dos vasos sanguíneos).
  • Infarto agudo do miocárdio (infarto do coração).
  • Acidente vascular encefálico (derrame).
  • Diminuição da função renal.
  • Perda da visão.

Hipertensão - Tratamento

A hipertensão não tem cura. Mas é possível controlá-la para evitar ou retardar as complicações. Mudanças de hábitos de vida e uso dos medicamentos sob orientação médica são as formas de controle.

USO DE MEDICAMENTOS

hipertensão - tratamento 


O tratamento medicamentoso ajuda a reduzir a pressão arterial, evita complicações e prolonga a vida. O uso dos remédios deve ser contínuo, diário, nas doses e nos horários recomendados pelo médico, mesmo que naquele determinado dia a pressão esteja controlada. Jamais deve-se tomar medicamentos sem indicação médica.

TRATAMENTO NÃO MEDICAMENTOSO

Modificações do estilo de vida no controle da pressão arterial

Modificação Recomendação Redução aproximada naPAS
Controle de peso Manter o peso corporal na faixa normal( íncide de massa corporal entre 18,5 a 24,9 kg/m2) 5 a 20 mmHg para cada 10kg de peso reduzido
Padrão alimentar Consumir dieta rica em frutas e vegetais e alimentos com baixa densidade calórica e baixo teor de gorduras saturadas e totais. 8 a 14 mmHg

Redução do consumo de sal
Reduzir a ingestão de sódio para não mais de 2,4 g de sódio (6 g de sal/dia = 4 colheres de café rasas de sal = 4 g + 2 g de sal próprio dos alimentos) 2 a 8 mmHg
Moderação no consumo de álcool Limitar o consumo a 30 g/dia de etanol para os homens e 15 g/dia para mulheres 2 a 4 mmHg
Exercício físico Habituar-se à prática regular de atividade física aeróbica, como caminhadas por, pelo menos, 30 minutos por dia, 3 a 5 vezes/semana 4 a 9 mmHg

 

 

COMPARTILHAR

TAGS:

Texto:

Design:

Fonte:

Cadastre-se para receber novidades e notícias