Saúde para Você

Inicie seu movimento para uma vida equilibrada

Prevenção

Os diabéticos em geral podem praticar os mesmos tipos de exercícios que os não diabéticos para o seu treinamento físico

30 Oct

Atividade Física

Os diabéticos em geral podem praticar os mesmos tipos de exercícios que os não diabéticos para o seu treinamento físico. Os mais indicados são: caminhar, andar de bicicleta, nadar, dançar e fazer hidroginástica. Mas cuidado! Exercícios intensos, sem uma alimentação regular, podem causar hipoglicemia. Antes de iniciar qualquer atividade física procure o seu médico para uma avaliação.

Os indivíduos Insulino-Dependentes (Diabetes Tipo I) devem exercitar-se DIARIAMENTE, para manutenção do padrão dieta - insulina regular e monitorar os níveis de glicemia antes e depois do exercício:

  • abaixo de 300mg% o exercício diminui imediatamente a glicemia e melhora seu controle a longo prazo.
  • acima de 300mg% a atividade física pode aumentar a glicemia e deve ser evitada, principalmente nas pessoas com diabetes tipo 1.

atividade física

Os Não Insulino - Dependentes (Diabetes Tipo II):

  • obtêm melhor controle do peso e do diabetes com uma maior freqüência dos exercícios,
  • mulheres obesas com excessiva quantidade de gordura na região abdominal, apresentam risco relativo de diabetes 10 vezes maior que as  não obesas com acúmulo de gordura periférica e maior dificuldade no seu controle.

VANTAGENS DE PRATICAR ATIVIDADE FÍSICA

  • Aumento da ação da insulina;
  • aumento da captação da glicose pelo músculo;
  • diminuição da glicose sanguínea;
  • melhora a circulação dos membros inferiores.
  • melhoria da força e da resistência física.
  • reduz a tensão, a ansiedade (estresse) e melhora o humor;
  • Ajuda a controlar o peso;
  • Faz você se sentir melhor e ter melhor aparência;

EXERCÍCIOS DE FORÇA

A musculação atua no aspecto terapêutico da diabetes, pois a medida em que provoca um aumento da massa muscular, gera também um aumento na quantidade de tecido captador de glicose, que mesmo em repouso, auxilia no controle da glicemia.

CUIDADOS NECESSÁRIOS DURANTE A PRÁTICA DE ATIVIDADE FÍSICA

  • Ao praticar atividade física, o diabético deve portar documento que identifique sua condição, para que possa ser ajudado adequadamente em caso de emergência.
  • É indispensável o uso de calçados confortáveis, que se adaptem aos seus pés e sejam apropriados para a atividade.
    • Alimentar-se ao menos 2 horas antes das atividades físicas (inclusive relação sexual)
  • Se o exercício for pouco intenso: comer pouca quantidade (uma fruta ou tomar um copo de leite);
  • Se o exercício for intenso: comer um pouco mais (por exemplo, um copo de leite + fruta ou um sanduíche pequeno, etc.).
  • Leve consigo alimentos com açúcar de ação rápida, por exemplo, doces, bolachas, balas de açúcar para ingerir caso sinta os sintomas da hipoglicemia
  • Os exercícios devem ser interrompidos em caso de sensação de desmaio, dor ou dificuldade de respirar.

Se estiver usando insulina: quando for fazer exercícios que mexam muito as pernas aplique insulina nos braços; se também for mexer muito com os braços, aplique insulina na barriga.

Alimentação saudável

Tudo o que ingerimos altera o nível de glicose no sangue. Portanto, conhecer os nutrientes que compõem os alimentos (como calorias, carboidratos, proteínas, gorduras, fibras, vitaminas e minerais) faz toda a diferença no controle da glicemia. Alimentar-se de forma saudável ajuda no controle do diabetes e melhora sua saúde em geral.

CALORIAS

São a energia que o nosso corpo utiliza. São encontradas nos alimentos e calculadas a partir da quantidade de gorduras, proteínas e carboidratos presentes.

CARBOIDRATOS

São as fontes da energia necessária para o funcionamento de todo o organismo e, por isso, deverão estar presentes em maior quantidade na alimentação. São encontrados nos pães, biscoitos, cereais, massas, arroz, grãos e alimentos que contenham açúcar. Todos os diabéticos podem consumir carboidratos, tanto aqueles que fazem controle apenas com alimentação e medicamentos orais, como aqueles que usam a terapia insulínica. Entretanto, saber escolher e controlar a quantidade de carboidratos ingerida é muito importante. Deve-se dar preferência aos integrais e evitar o consumo de doces e açúcares. Seguir o seu plano alimentar estipulado pelo médico ou nutricionista é muito importante.

FIBRAS

Presente em diversos alimentos de origem vegetal, como frutas e hortaliças, e em alimentos integrais. A presença delas na alimentação é essencial, pois diminui o risco de doenças do coração, câncer de intestino, hemorroidas, além de melhorar o funcionamento intestinal.

PROTEÍNAS

São fundamentais para o crescimento, a renovação das células e a cicatrização. São encontradas nas carnes, aves, laticínios e ovos, legumes, cereais e vegetais. Atenção para a forma de consumo de certas proteínas: as carnes e aves deverão ser grelhadas, assadas ou cozidas; os laticínios deverão ser desnatados e os ovos cozidos, pochê ou assados.

GORDURAS

São necessárias como fonte de energia, na absorção das vitaminas, na formação dos hormônios sexuais e servem como reserva energética. Um pouco de gordura deve fazer parte da dieta de todas as pessoas para garantir o bom funcionamento do organismo.

As gorduras saturadas e o colesterol tendem a se depositar nos vasos sanguineos contribuindo para o aparecimento de problemas cardíacos. Pessoas com diabetes tem maior risco de desenvolver tais problemas. As gorduras saturadas são encontradas, pricipalmente, nos alimentos de origem animal, tais como carnes gordas bovina e suína, industrializadas (hambúrgueres, almôndegas), e embutidos (mortadela, presunto, salame, salsicha).

As gorduras insaturadas são saudáveis e estão nos óleos vegetais, utilizados para refogar os alimentos, no azeite de oliva para o tempero de saladas. Mas são muito calóricos, se consumidos em excesso podem aumentar o peso.

VITAMINAS E MINERAIS

alimentação saudável

Regulam as funções do organismo, ajudando no seu bom funcionamento. Protegem a pele, a visão, os dentes e aumentam a resistência do organismo no combate a infecções. São encontrados nas frutas, verduras e legumes. Devem ser consumidos diariamente.

Eles são uma alternativa, usada pelos nutricionistas, para compor seu plano alimentar. Mas, nem por isso, pode ser consumido a vontade. Devemos entender suas diferenças para utilizá-los em nosso benefício!

DIET
São produtos para dietas com RESTRIÇÃO TOTAL de alguns ingredientes como açúcares, sódio, gorduras, proteínas, ou outros nutrientes. São destinados às pessoas que necessitem de restrições alimentares. No caso dos diabéticos o alimento deverá ser diet em açúcar, ou seja, sem açúcar.

LIGHT
São aqueles alimentos modificados que devem ter somente uma REDUÇÃO PARCIAL de no mínimo 25% de alguns de seus componentes, como açúcar, gorduras, proteínas, etc. Utilizados para controles de peso, colesterol ou triglicérides altos, em alguns casos de pessoas com diabetes (que devem ingerir com moderação, pois contém açúcar, mas em quantidade reduzida) e até para quem quer ter uma alimentação saudável.
 

ADOÇANTES
O consumo excessivo de produtos contendo adoçante calórico (aspartame, frutose, sorbitol) pode causar elevação na taxa glicêmica e/ou diarréia, desconforto abdominal. É um erro achar que esses produtos podem ser consumidos à vontade por serem dietéticos.
São classificados em:

Naturais: frutose, sorbitol, manitol, matodextrina e esteviosídio;
Artificiais ou sintéticos: aspartame, ciclamato, sacarina, acessulfame K e sucralose;
Nem todos os adoçantes podem ser utilizados em preparações quentes (de forno e fogão). São indicados para culinária a sacarina, ciclamato, esteviosídeo, acessulfame k, sucralose e frutose. O aspartame e a maltodextrina não podem ser submetidas a temperaturas elevadas, pois geram perda do sabor doce.

CONFIRA ALGUMAS RECOMENDAÇÕES PARA TORNAR SUA ALIMENTAÇÃO MAIS SAUDÁVEL

  • Procure incorporar na sua dieta a maior quantidade possível de alimentos ricos em fibras, tais como frutas e verduras. Você pode aumentar esse consumo com medidas simples, como evitar descascar algumas frutas (figo, pêssego, maçã, etc.), pois as cascas são ricas em fibras.
  • Procure diminuir a quantidade de gorduras (óleos, manteiga, cremes, etc.) e de carboidratos (massas e doces).
  • Dê preferência a alimentos grelhados e/ou cozidos.
  • Evite comer em fastfoods (restaurantes e lanchonetes com lanches rápidos). Dê preferência aos alimentos de preparação mais “caseira”.
  • Diminua a quantidade total de alimentos em cada refeição. Faça mais refeições ingerindo menos calorias de cada vez. Esse procedimento permitirá uma digestão mais fácil e diminuirá o apetite nas refeições maiores.
  • Utilize leite e derivados (iogurte, queijos, etc.) desnatados ou light.
  • Prefira as carnes magras. Assim, você previne o aumento do colesterol, além de controlar o peso.
  • As leguminosas (feijão, lentilha, soja, etc.) devem fazer parte do cardápio, pois contêm proteínas, ferro e fibras.
  • No supermercado, é preciso cuidado ao escolher o que será comprado. Leve alimentos saudáveis para casa. Dê preferência aos temperos naturais, pois os industrializados contêm grande quantidade de sal. Os óleos mais saudáveis são os vegetais (canola, girassol, milho e soja). Evite frituras.
  • Não se esqueça: se for comer uma sobremesa diet ou light, fique apenas com uma porção. Comer o dobro pode significar o mesmo que comer um doce muito calórico e com uma dosagem dobrada de açúcar.
  • Não existe adoçante ideal; por isso, procure variar os tipos existentes.

COMPARTILHAR

TAGS:

Texto:

Design:

Fonte:

Cadastre-se para receber novidades e notícias