Saúde para Você

Inicie seu movimento para uma vida equilibrada

Insulinoterapia

A insulina é responsável por promover a entrada da glicose nas células para lhes fornecer energia.Saiba mais.

30 Oct

A insulina

a insulina

A insulina é responsável por promover a entrada da glicose nas células para lhes fornecer energia. No caso dos diabéticos, alterações na produção deste hormônio podem tornar necessário consumir insulina produzida em laboratórios, a fim de manter a glicemia (taxa de açúcar no sangue) controlada.
A maioria dos diabéticos, entretanto, consegue controlar os níveis glicêmicos apenas com dieta, exercícios e hipoglicemiantes orais, sem precisar utilizar insulina.

TIPOS DE INSULINA

Estão disponíveis no mercado vários tipos de insulina sintetizadas em laboratório. O médico prescreve a mais apropriada ou indica uma combinação de diversos tipos, dependendo das condições e dos hábitos de vida do paciente.

O QUE DIFERENCIA OS TIPOS DE INSULINA?

  • Início da sua ação (tempo que leva para alcançar o sangue e diminuir os níveis glicêmicos).
  • Duração do efeito (por quanto tempo continua atuando).
  • Pico de ação (tempo em que o poder da insulina é máximo para a diminuição da glicemia).
  • A sua origem (pode ser humana, suína ou bovina – chamadas insulinas regulares).

TABELA DAS DIFERENTES VELOCIDADE E TEMPOS DE AÇÃO DOS PRINCIPAIS TIPOS DE INSULINA             

ACÃO TIPO DE INSULINA INÍCIO DA AÇÃO PICOS DE AÇÃO DURAÇÃO MÁX. USUAL
Ultra-rápida Humana < 15 minutos De ½ a 1 ½ hora De 4 a 6 horas
Rápida Regular De ½ a 1 hora De 2 a 3 horas De 6 a 10 horas
Intermediária NPH De 2 a 4 horas De 3 a 10 horas De 14 a 18 horas
Longa Lenta De 3 a 4 horas De 4 a 12 horas De 16 a 20 horas
Longa Ultralenta De 6 a 10 horas De 10 a 16 horas De 20 a 24 horas

 

Aplicação da insulina

aplicação da insulina

Até pouco tempo atrás, o uso da insulina era associado a dor e desconforto. Mas isso mudou com a evolução e adaptação dos materiais e técnicas utilizadas. Hoje, aprendendo a técnica corretamente, é possível aplicar a insulina de forma rápida e relativamente indolor.

A) ESCOLHA DAS SERINGAS

As seringas mais utilizadas são aquelas com capacidade de 1ml, pois apresentam o fracionamento em unidades (medida como é prescrita pelo médico). Existem, também, seringas de 0,5 e 0,3ml.

Outra opção é um dispositivo em forma de caneta, com uma agulha descartável na ponta. Quando acionada, ela perfura a pele sem causar dor e libera a insulina. São muito utilizadas devido à facilidade de executar o procedimento e pela precisão de dosagem, regulada no momento da aplicação.

B) ESCOLHA DAS AGULHAS

Normalmente, as seringas já vêm com agulha. Mas é possível adquirir separadamente a seringa e a agulha, uma vez que existem agulhas de diferentes tamanhos e espessuras, adequadas a cada tipo de insulina e aplicação. Caso você faça a opção por comprar os produtos separadamente, peça ao seu médico para indicar a agulha mais apropriada.

aplicação da insulina

 

C) LOCAIS E POSIÇÕES RECOMENDADOS PARA A APLICAÇÃO DA INSULINA

Locais recomendados:
A insulina deve ser aplicada no tecido subcutâneo, para absorção adequada. Os locais recomendados são aqueles afastados das articulações, dos nervos, dos grandes vasos sanguíneos e de fácil acesso para que o próprio paciente possa fazer a aplicação.

  • Braços: região posterior externa do braço, no espaço entre três dedos abaixo do ombro e três dedos acima do cotovelo.
  • Coxas: região frontal e lateral superior da coxa, no espaço entre três dedos abaixo da região inguinal (virilha) e três dedos acima do joelho.
  • Abdome: região abdominal, exceto no espaço entre três dedos à direita ou à esquerda do umbigo. Não é recomendado aplicar nem acima nem abaixo do umbigo por ser desconfortável.
  • Nádegas: região superior lateral externa do glúteo, tendo como referência a prega interglútea.
     

Vale lembrar que a absorção adequada da insulina depende do local da aplicação. Ela é absorvida mais rapidamente quando aplicada nas coxas, nádegas e abdome (nesta ordem). Nos braços a absorção é mais lenta. Mas é importante fazer rodízio dos locais de aplicação, para evitar problemas na pele.

  aplicação da insulina

PASSO A PASSO PARA APLICAÇÃO DA INSULINA

  • Lave bem as mãos com água e sabão.
  • Junte todo o material que será necessário: seringa com agulha, frasco de insulina, algodão e álcool.
  • Confira o prazo de validade da insulina. Se estiver vencida, descarte.
  • Confira o aspecto da insulina. Observe se muda de cor ou se apresenta partículas boiando.
  • Misture a insulina fazendo movimentos circulares e suaves com o vidro para que haja uma homogeneização do seu conteúdo (para quem faz uso de insulina lenta e NPH).
  • Limpe a tampa do frasco com algodão molhado no álcool e espere secar.
  • Aspire cuidadosamente o medicamento até a quantidade prescrita.
  • Se você notar bolhas de ar na seringa, dê pequenas batidas no local para eliminá-las. Empurre suavemente o êmbolo e aspire a quantidade de insulina que faltar.
  • Passe outro algodão molhado com álcool no local da aplicação. Aguarde secar ou passe no local um algodão seco.
  • Segure a seringa com a mão dominante (direita se você for destro, esquerda se for canhoto) como se fosse um lápis.
  • Com a outra mão, faça uma prega na pele na região onde foi feita a limpeza e introduza a agulha com um movimento firme e rápido. Atenção: a agulha deve estar em ângulo de 90º com a pele.  Se você utilizar dispositivo em forma de caneta para aplicação ou agulhas menores (5mm), não precisa fazer a prega cutânea.
  • Puxe delicadamente o êmbolo da seringa um pouco para fora. Desta forma, você testa se atingiu algum vaso sanguíneo. Caso tenha atingido, você verá sangue na seringa, e deve retirar a agulha e recomeçar o processo, escolhendo um novo local para aplicação.
  • Injete a insulina pressionando delicada e lentamente o êmbolo até o final.
  • Conte até dez.
  • Retire a agulha suavemente.
  • Pressione o local com o algodão por alguns segundos.
  • Não faça massagem no local após a aplicação, pois isso acelera o processo de absorção da insulina.

 

Conservação e armazenamento da insulina

conservação e armazenamento da insulina
 

Conservar adequadamente a insulina e tão importante quanto administrá-la corretamente, na dosagem, horário e maneira prescrita pelo médico. A qualidade da insulina utilizada influencia o resultado do tratamento. Fique atento às dicas:

NA HORA DA COMPRA

  • Escolha um estabelecimento de confiança e observe se o material é conservado em local adequado e limpo, com boa higienização.
  • Quanto à apresentação no frasco, verifique se há partículas boiando e observe a cor da insulina (a insulina Regular é límpida e a NP é turva).
  • Confira sempre o prazo de validade.

EM CASA

  • Guarde a insulina na parte baixa ou na porta da geladeira.
  • Coloque rótulo com a data de abertura no frasco aberto, para controle de validade.
  • Frascos de insulina mantidos em temperatura ambiente (local fresco e seco) devem ser utilizados em, no máximo, 30 dias. Depois disso perdem capacidade de ação.
  • A insulina não pode ficar exposta à luz direta do sol e não pode atingir temperaturas abaixo de 2°C ou acima de 30°C.
  • A presença de grumos, cristais ou agregados indica que a insulina está inadequada para consumo ou desnaturada. Isso ocorre quando ela é manipulada inadequadamente (por exemplo, muito sacudida) ou guardada em temperaturas impróprias. Descarte-a.

DICAS

  • Se você utilizar dispositivo em forma de caneta para aplicação ou agulhas menores (5mm), não precisa fazer a prega cutânea.
  • É importante fazer rodízio dos locais de aplicação para evitar problemas na pele.
  • O relaxamento muscular e a tranqüilidade na hora da aplicação ajudam muito a
    minimizar o desconforto;
  • Nunca use seringa ou agulha utilizada por outra pessoa;
  • Não reutilizar seringas e agulhas;
  • O uso de insulina gelada (aquela que é mantida na geladeira) pode causar um
    desconforto no momento da aplicação. Para evitá-lo, coloque a insulina na seringa e aqueça-a entre as mãos com suaves movimentos rotativos.
  • A absorção adequada da insulina depende do local da aplicação. Ela é absorvida mais rapidamente quando aplicada nas coxas, nádegas e abdome (nesta ordem).
  • Quando aplicada nos braços, sua absorção é mais lenta.
  • A temperatura do corpo, a dieta, o exercício e o nível de estresse podem afetar
    a absorção da insulina. Por isso, fique atento ao controle da sua glicemia.
  • Para jogar agulhas e seringas fora, tome o cuidado de encapar a agulha antes.
  • De preferência, coloque este material em uma caixa rígida (papelão ou plástico mais grosso) para evitar acidentes.

FIQUE ATENTO

  • Durante uma viagem é importante manter a temperatura da insulina. Você pode utilizar uma caixa de isopor, bolsa térmica ou refrigerador portátil. Mas a insulina não pode congelar nem ficar em contato direto com gelo.
  • Leve um número maior de seringas e não se esqueça de levar o seu glicosímetro;
  • Observe se a cidade de destino possui a insulina que você usa. Se não, adquira os frascos de insulina necessários para o uso e providencie meios adequados para a conservação durante toda temporada que estiver fora.

Reação alérgica

reação alérgica

 

A INSULINA PODE PROVOCAR REAÇÃO ALÉRGICA. DEVE-SE PROCURAR O MÉDICO IMEDIATAMENTE NA PRESENÇA DESSES SINTOMAS:

  • Depressão na pele no local das injeções.
  • Vermelhidão persistente ou temporária no local das injeções.
  • Caroços agrupados, semelhantes à urticária.
  • Inchaço no local das injeções.

COMPARTILHAR

TAGS:

Texto:

Design:

Fonte:

Cadastre-se para receber novidades e notícias