Saúde para Você

Inicie seu movimento para uma vida equilibrada

Cuidado com os seus pés

Se você é diabético, saiba como cuidar dos seus pés e se prevenir de complicações.

06 Nov

Se você é diabético, saiba como cuidar dos seus pés e se prevenir de complicações.

 

 

PORQUE O DIABÉTICO DEVE CUIDAR DOS PÉS?

Pessoas com diabetes têm risco maior para apresentar problemas nas pernas e nos pés, como feridas que não cicatrizam, infecções e possíveis consequências graves, como a amputação. A prevenção de feridas evita as amputações.


POR QUE ISSO ACONTECE?

O diabetes mal controlado, com glicose alta por muito tempo ou picos frequentes, prejudica o organismo e causa as chamadas complicações crônicas da doença.

Duas dessas complicações crônicas são responsáveis pela maioria das lesões nos pés das pessoas com diabetes. São elas: a neuropatia diabética (comprometimento dos nervos das pernas) e a insuficiência vascular periférica (falta de circulação nas pernas e pés).


Neuropatia diabética

A neuropatia pode se manifestar como uma perda de sensibilidade nos pés. A pessoa não sente dor mesmo quando sofre uma agressão, como pisar no chão quente ou em objetos pontiagudos, bater o pé e se ferir, usar sapatos que machucam. Se a pessoa não percebe essas alterações, isso pode levar ao aparecimento das feridas.

A dor serve para nos alertar que está havendo uma agressão. Não sentir dor é um risco. Por isso, examine seus pés todos os dias.

A neuropatia pode levar a pessoa a pisar errado, distribuindo mal o peso no pé. Isso pode causar calos, que podem virar feridas. O uso de calçados adequados e palmilhas ajuda muito nesta prevenção.

Outra forma de manifestação da neuropatia são as dores nos pés e nas pernas, que podem se manifestar como sensação de queimação, especialmente quando em repouso (durante a noite, por exemplo). Caso sinta algo parecido, converse com seu médico.

A neuropatia também faz a pele ficar ressecada, o que pode levar ao aparecimento de rachaduras que servem como porta de entrada para infecções.

 

Insuficiência vascular periférica

A falta de circulação adequada nas pernas e nos pés faz a pele ficar frágil, mais suscetível a feridas. Como a cicatrização é mais difícil, se houver infecção, a chance de complicações sérias aumenta!

Se você sente dor nas pernas quando anda, principalmente em subidas, relate ao seu médico, pois você pode estar com insuficiência vascular.

 


COMO POSSO REDUZIR O RISCO?

Controlar bem a glicose, não fumar e ter cuidados simples com os pés reduz muito os riscos.

Tabagismo

Fumar piora a insuficiência vascular, além de estar relacionado com outros problemas graves como angina, infarto, derrame e doenças do pulmão, incluindo câncer.  Não fume. E se tiver dificuldade de parar, peça ajuda e converse com seu médico.

 

 

Controle do diabetes

O bom controle do diabetes, com as glicemias e a glicohemoglobina dentro das metas estabelecidas por seu médico, previne o aparecimento de todas as complicações crônicas, incluindo a neuropatia e a insuficiência vascular. Assim, é essencial manter suas consultas regulares.
O bom controle do diabetes previne as amputações. Não espere o problema aparecer: cuide-se bem e faça a prevenção.


CUIDADOS COM OS PÉS

 

 

• Lave seus pés todos os dias e seque-os bem após o banho, inclusive entre os dedos.

• Olhe seus pés todos os dias, inclusive entre os dedos e por baixo (planta dos pés). Se necessário, use um espelho para auxiliá-lo.

• Se encontrar algum lugar vermelho, com calos ou bolhas, tenha muito cuidado. Esses são sinais que alguma coisa está agredindo os seus pés, mesmo que não estejam doendo.

• Não ande descalço, nem mesmo dentro de casa.

• Sapatos devem ser confortáveis. Evite saltos finos e muito altos, bico fino, sapatos apertados ou com costuras internas. Olhe o interior dos sapatos antes de calçá-los: pode ter algum bicho ou objeto que pode machucar.

• Use meias de algodão: elas absorvem melhor a umidade dos pés. Além disso, não use meias apertadas ou com elásticos e troque-as diariamente.

• Corte as unhas no formato quadrado, sem aprofundar muito os cantinhos, evitando a “unha encravada”. Use a lixa se necessário e evite retirar a cutícula!

• Se tiver calos, procure um podólogo, que é um profissional capacitado. Não tente retirar ou cortar os calos. E atenção, se um calo se formou, algo está agredindo seus pés. Converse com seu médico para orientações sobre calçados e palmilhas: isso previne feridas.

• Hidrate sua pele e evite rachaduras nos pés: elas são portas de entrada para infecções. Mas atenção: não passe o hidratante entre os dedos, porque favorece o aparecimento de micoses (“frieira”).

• Cuidado com queimaduras! Como a sua sensibilidade pode estar reduzida, você pode se queimar mesmo sem sentir dor. Não ande descalço no chão quente (sol), não experimente a temperatura da água do banho com o pé e não deixe o pé de molho em água quente.

 

Se perceber alguma alteração no seu pé, bolha ou ferida, mudança de coloração, alguma dor ou dormência, falta de sensibilidade, mostre para o seu médico. Esses cuidados simples podem prevenir complicações graves, como feridas e amputações.



TEVE UMA LESÃO? CONHEÇA OS SINAIS DE ALERTA

O controle adequado das glicemias e o cuidado com os pés previnem complicações graves, como as feridas e as amputações.

Porém, caso apareça alguma lesão, a demora em procurar auxílio médico pode agravar a situação, aumentando o risco de amputações.

 

 

Fique atento aos sinais:

• Cortes, feridas, bolhas, inchaços ou mudança de coloração em seus pés, mesmo sem dor.

• Dores fortes, contínuas ou que pioram quando em movimento podem significar piora da circulação, chamada de isquemia. Outros sinais de isquemia são temperatura fria e mudanças de coloração para palidez ou escurecimento do membro.

• Se houver secreção purulenta na lesão, é provável que seja uma infecção. Caso tenha odor fétido, pode indicar infecção e/ou necrose.

• Presença de febre, taquicardia e/ou descontrole da glicose, com hiperglicemias que não respondem às doses habituais de insulina, podem indicar infecção grave.

 

 

 

 

Se perceber algum desses sinais, não demore a procurar atendimento médico.

 

 

COMPARTILHAR

TAGS:

Texto:

Design:

Fonte:

Cadastre-se para receber novidades e notícias