Saúde para Você

Inicie seu movimento para uma vida equilibrada

Controle Glicêmico

A melhor maneira de controlar o diabetes é manter os níveis de glicose no sangue controlados

30 Oct

Por que fazer controle glicêmico

por que fazer controle glicêmico

A melhor maneira de controlar o diabetes é manter os níveis de glicose no sangue controlados e, com isso, retardar as complicações da doença e manter a qualidade de vida.

Para realizar o controle glicêmico, existe um teste rápido e simples: a glicemia capilar. O seu médico irá estabelecer qual o valor da glicemia que você deverá manter para evitar a hipoglicemia ou hiperglicemia. Tão importante quanto fazer o teste é anotar os resultados. Preencha a sua tabela de anotações e leve-a sempre nas suas consultas médicas.

Como controlar a glicemia

O teste de glicemia capilar é a forma mais rápida e prática de fazer o controle da taxa de açúcar no sangue (glicemia). Com a ajuda de lancetas e tiras próprias, o paciente fura o dedo e coleta uma gota de sangue, analisada quase instantaneamente por um aparelho medidor de glicemia. Esse teste pode ser realizado a qualquer momento. O número de vezes e os horários em que isso deve ser feito diariamente devem ser acordados com seu médico. De maneira geral, os horários mais indicados são:

como controlar a glicemia

a) Pela manhã, em jejum, e/ou antes das refeições.

b) Duas a três horas após as refeições

c) antes de dormir.

  • O médico estabelece a faixa de controle, ou seja: o menor e o maior valor que a glicemia do paciente pode atingir.

 

  • PASSO A PASSO DA MEDIÇÃO

     1- Junte todo o material que será necessário: aparelho, fitas, lanceta (ou agulha de insulina), algodão e álcool.

     2- Observe antes de realizar seu teste de glicemia se o aparelho está calibrado para as fitas que você utiliza.

     3- Lave bem as mãos com água e sabão e seque-as com uma toalha limpa. É indicado usar água quente em dias frios para que o sangue saia com mais facilidade.

     4- Se possível, friccione algodão molhado com álcool no dedo a ser picado e, em seguida, seque o local com algodão seco.

     5- Deixe a mão pendente (pendurada para baixo) para acumular sangue na extremidade.

     6- Aperte o dedo abaixo do local a ser picado, até que se obtenha a gota de sangue. Não  pique exatamente a ponta do dedo, pois essa área é muito sensível e você poderá sentir dor. Prefira picar as áreas laterais, ao redor das polpas dos dedos.

     7- Coloque a gota de sangue na fita de acordo com a orientação do fabricante do aparelho.

     8- Pressione o local picado com o auxílio do algodão até que pare de sangrar.

    PARA MANTER A GLICEMIA SOB CONTROLE E EVITAR COMPLICAÇÕES, VOCÊ DEVE:

    como controlar a glicemia

  • Usar a medicação corretamente (dose, horário e aplicação em locais corretos);
  • alimentar-se de maneira saudável e em intervalos regulares;
  • fazer os testes de glicemia e anotá-los no seu diário;
  • entrar em contato com seu médico caso tenha alterações significativas no controle de glicemia;
  • fazer atividades físicas conforme orientação médica;
  • conhecer os sinais e sintomas de descompensação da glicemia para detectar precocemente e intervir nos quadros de hipo e hiperglicemia;
  • manter seus parentes, amigos e colegas informados sobre os sintomas de hiper e hipoglicemia e sobre as condutas a serem tomadas;
  • ter sempre em mãos suprimentos (tablete de glicose, balas) para intervir nas crises de hipoglicemia.

O que afeta o controle da glicemia

o que afeta o controle da glicemia


 

ALIMENTAÇÃO

Tudo aquilo que você come altera o nível de glicose no sangue. Por isso, é importante conhecer bem os alimentos e controlar a ingestão de doces em geral e, principalmente, de carboidratos (massas, batata, mandioca, arroz, pães, etc.). O segredo é ter uma dieta saudável (rica em verduras e fibras), preparando pratos coloridos e alimentar-se em intervalos de até três horas.

 Alimentar-se de forma saudável é um presente que você dá a si mesmo, pois ajuda no controle do diabetes.

MEDICAÇÃO

Importante tirar suas dúvidas com seu médico. Existe uma relação entre as refeições e os horários dos medicamentos. Utilização de medicamentos como anticoagulantes orais, esteróides anabolizantes, ciclofosfamida, fluoxetina, tetraciclinas, entre outros.

EXERCÍCIOS FÍSICOS

Para os diabéticos, a atividade física traz diversos benefícios adicionais, como o aumento da ação da insulina. Mas fique atento ao praticar exercícios (até mesmo uma caminhada), pois o organismo passa a utilizar mais glicose do que utilizaria em repouso, o que, em alguns casos, pode levar a uma crise de hipoglicemia. É importante realizar o controle da glicemia antes e depois das atividades físicas. Caso a glicemia esteja alta, também existe uma chance de ocorrer a crise de hiperglicemia durante a atividade.

Exercícios regulares e programados são a melhor opção e os mais indicados são: caminhar, andar de bicicleta, nadar, dançar e fazer hidroginástica. Antes de iniciar a prática de qualquer atividade física, você deve ser avaliado pelo seu médico.

ESTRESSE

Quando ficamos nervosos, irritados e ansiosos, o organismo libera hormônios
que podem alterar o nível glicêmico podendo causar uma crise de hiperglicemia e até mesmo um quadro de cetoacidose diabética. 

Por isso, devemos mudar a maneira de encarar a vida e os problemas do dia-a-dia. Tente sempre ver o lado positivo das situações e controlar sua irritação e ansiedade..

DOENÇAS

Quando uma pessoa diabética fica doente (mesmo que seja apenas um resfriado), seu organismo tenta reagir e lutar contra a doença. Mesmo que você já tenha estabelecido um bom controle glicêmico e realize o teste de glicemia capilar uma vez por dia, deve aumentar a vigilância sempre que estiver doente e realizar o teste mais vezes.

Hiperglicemia

Ao contrário da hipoglicemia, a hiperglicemia é o excesso de glicose no sangue. Entretanto esse processo é lento e gradual, ou seja, os sinais e sintomas vão aparecendo aos poucos, sendo muitas vezes notados só em situações extremas.

Sinais e sintomas: cansaço, fraqueza, urinar muito, muita sede, visão turva (embaçada, destorcida), sonolência, tontura, pele e boca secas.

A) O QUE PODE CAUSAR UMA CRISE DE HIPERGLICEMIA?

  • Não seguir a dieta recomendada (comer alimentos não indicados) e/ou comer muito.
  • Ficar sob estresse emocional (estar muito tenso, nervoso) e/ou doente.
  • Tomar uma dosagem errada de medicação (insulina ou antidiabéticos orais em quantidade inferior à recomendada).

B) COMO TRATAR UMA CRISE DE HIPERGLICEMIA?

 

hiperglicemia

Assim como para os casos de hipoglicemia, o ideal é fazer um teste de glicemia capilar para confirmar a suspeita. Entretanto, se não for possível fazê-lo, deve-se procurar imediatamente um serviço médico ou hospital. Não espere melhorar ou ter certeza de que está em crise, pois o quadro de hiperglicemia não tratado pode evoluir para formas graves e colocar em risco a sua vida.

FIQUE ATENTO

  • É importante ter sempre em mãos um cartão de identificação alertando que você é diabético e com os telefones para contato em caso de urgência.
  • Não dirija se estiver sentindo-se mal ou com algum sintoma de descompensação, pois isso pode ser perigoso.
  • Caso você faça longas viagens, leve sempre sucos e biscoitos para corrigir uma eventual hipoglicemia.
  • Quando estiver doente, redobre os cuidados.

Hipoglicemia

O importante é você aprender a identificar os fatores que causam a hipoglicemia e o início de uma crise para tratá-la rapidamente, seu médico deverá estabelecer quais os valores glicêmicos de alerta e que devem ser corrigidos.

Os sinais e sintomas são:

  • início súbito, calafrios, cansaço (fadiga), taquicardia (batimento cardíaco acelerado); sudorese, mau humor, dor de cabeça, visão turva, dormência nos lábios e língua, desorientação (ficar confuso), desmaio, pele fria, pálida e úmida, convulsões, dificuldades para acordar (hipoglicemia noturna).

A) O QUE PODE CAUSAR UMA CRISE DE HIPOGLICEMIA?

  • Atividades físicas em excesso, atraso nas refeições, não comer em quantidades suficientes, ingerir bebida alcoólica sem alimentar-se, tomar uma dosagem errada de medicação (insulina ou alguns antidiabéticos orais em maior quantidade), casos como diarréia, vômitos ou perda acentuada de apetite.

B) COMO TRATAR UMA CRISE DE HIPOGLICEMIA?

Ao desconfiar de uma crise de hipoglicemia, o ideal é fazer um teste de glicemia capilar para confirmação. Entretanto, se não for possível fazê-lo, iniciar o tratamento dos sintomas antes que se agravem. Para isso, coma alimentos doces de rápida absorção, tais como:

  • Meia lata de refrigerante comum ou meio copo de suco de laranja ou meio copo de leite desnatado.
  • 2 colheres de sopa de açúcar ou 10 balas de goma ou 2 colheres de chá de mel;.

Se após 15 minutos dessa ingestão os sintomas não melhorarem, coma mais um pouco desses alimentos e peça ajuda.

Oriente seus familiares, amigos e colegas de trabalho que, caso ocorra perda da consciência (estar desmaiado, ou não atender aos comandos), você não poderá receber alimentos, pois terá dificuldades de deglutir e poderá engasgar. Nesse caso, a pessoa que socorrê-lo deverá colocar açúcar ou mel embaixo da língua ou entre a gengiva e a bochecha e encaminhá-lo imediatamente ao hospital.

COMPARTILHAR

TAGS:

Texto:

Design:

Fonte:

Cadastre-se para receber novidades e notícias